JUVENTUDE

 

Miguel Fontes no Brasil

TRANSMITIR EXPERIÊNCIA PORTUGUESA

O secretário de Estado da Juventude, Miguel Fontes, esteve, no passado dia 4, no Brasil, a convite do governador do Estado de São Paulo, Mário Covas, para falar sobre a experiência de Portugal em matérias de política de Juventude.

Miguel Fontes presidiu, ao lado do governador de São Paulo e da primeira-dama, Ruth Henriques Cardoso, ao Congresso «O Jovem Hoje», onde, em representação do Governo português, apresentou aos responsáveis políticos brasileiros as medidas implementadas na área da Juventude.

Na sua intervenção, intitulada «O jovem no contexto actual», o secretário de Estado português frisou que a política da Juventude deve ter como finalidade a integração social dos jovens e, nesse sentido, Portugal tem desenvolvido diversos programas, sob várias vertentes.

Miguel Fontes explicou a acção da administração portuguesa no domínio das políticas para a Juventude fazendo sobressair dois eixos o vertical, onde referiu o apoio ao associativismo, e horizontal, em que destacou nove áreas ou vertentes de intervenção.

Definindo as associações juvenis como «espaços privilegiados da aprendizagem cívica e democrática», ou seja, como «autênticas escolas de cidadania», o secretário de Estado da Juventude referiu a importância dada em Portugal ao apoio e ao fomento do associativismo juvenil.

Já no eixo vertical e inserido nas temáticas do emprego, Miguel Fontes salientou o programa «Agir», destinado aos jovens dos 18 aos 30 anos, que visa desenvolver projectos ajustados às necessidades das empresas de acordo com a formação do jovem em concreto.

Na vertente da habitação o governante português falou nos apoios ao arrendamento e à compra de casa própria para aos jovens mediante taxas de juro bonificadas.

No que diz respeito ao ensino, Miguel Fontes sublinhou cinco iniciativas específicas: o aumento do número de anos de escolaridade obrigatória, o aumento do número de jovens com acesso para o ensino superior, a oferta de curricula alternativos, a atenção especial ao ensino recorrente e a diversificação da oferta no ensino superior.

Ainda em matéria de formação, mas focando o olhar nas novas tecnologias, o titular da pasta da Juventude mostrou-se confiante numa aposta na familiarização dos jovens com os novos meios tecnológicos.

Para Miguel Fontes, a mobilidade juvenil é «um factor formativo fundamental», pois possibilita que os jovens entrem em contacto com diversas realidades.

Nesse sentido, a Secretaria de Estado da Juventude desenvolveu uma série de programas de intercâmbio juvenil a nível nacional e europeu, bem como de estudantes.

O apoio aos campos de férias e de trabalho e ao turismo juvenis foram outras das linhas de acção da política para a juventude citadas por Miguel Fontes que não deixou passar a oportunidade para falar da importância do incentivo à ocupação e aproveitamento dos tempos livres.

Nesta vertente o Governo de Portugal tem apoiado o sector desportivo e incentivado o desenvolvimento de tarefas trabalhos durante o período das férias grandes escolares. Estas actividades são remuneradas com bolsas.

No campo de combate à exclusão social, Miguel Fontes referiu-se ao estudo que se está a realizar no País sobre a promoção de animação para jovens que residem em bairros degradados, bem como ao estímulo constante para que esses jovens regressem à escola, procurem programas de formação profissional e/ou integrem o mercado de trabalho.

Um oitavo sector de intervenção governamental respeitante à juventude foi designado pelo secretário de Estado como sendo de «Formação Cívica». Nele, segundo Miguel Fontes, os jovens são estimulados para participar em acções e projectos de utilidade social e comunitária.

A motivação para causas anti-racistas e anti-xenófobas, assim como o incentivo a um maior e melhor conhecimento do sistema político-constitucional foram também realçadas dentro da preparação dos jovens para a vida em sociedade.

Por último, na área da saúde, Miguel Fontes destacou a criação de programas, junto da comunidade juvenil, que promovem estilos de vida saudáveis, dando especial atenção a informação dentro da área da sexualidade.

Recorde-se que a deslocação a terras brasileiras do secretário de Estado da Juventude e a sua participação no congresso «O Jovem Hoje» enquadra-se na cooperação que agora se intensifica entre Portugal e o Brasil.

Miguel Fontes falou ainda sobre as três Conferências Internacionais e o Festival Mundial da Juventude, que se realizarão no nosso país durante o mês de Agosto, com destaque particular para a I Conferência de Ministros da Juventude da CPLP, onde serão aprofundadas as políticas de cooperação.

O secretário de Estrado português contactou igualmente com jovens brasileiros que estarão presentes no Festival Mundial da Juventude, de 1 a 10 de Agosto, na Costa de Caparica. Para o efeito está já garantido o frete de um avião com o objectivo de transportar os jovens de São Paulo para Lisboa.

(MJR)