EDITORIAL




PORTUGAL, PAÍS DE FUTURO

Com a abertura da Expo, hoje, Portugal confirma o seu caminho no sentido da modernidade e do desenvolvimento. Portugal não é mais o País dos «coitadinhos» ou dos incapazes de desenvolver projectos arrojados e de futuro.

O espírito mesquinho, prevalecente em algumas mentalidades, sobre a menoridade dos portugueses acaba por ser derrotado diariamente com a evidência dos factos.

Portugal é hoje um «país moderno e europeu» titulou o «Liberation» na sua edição de ontem, em que dedica um extenso artigo sobre a modernização do nosso país.

Para o «Liberation», Portugal «como país dinâmico a caminho do euro, não olhou a meios para acolher os 147 países» participantes nesta última exposição mundial do milénio.

Com efeito, o ano de 1998 tem sido de ouro para Portugal. Os excelentes indicadores económicos, aliados a uma crescente diminuição da taxa de desemprego; a confirmação, no início deste mês, da entrada de Portugal para o pelotão da frente da moeda única, confirmando os estreitos critérios de convergência, sem ter sujeitado o povo a sacrifícios sociais; a conclusão de importantíssimas obras de engenharia como a Ponte Vasco da Gama, a Expo 98, a auto-estrada Lisboa-Badajoz e os mais de 1150 quilómetros de auto-estrada conseguidos nos últimos dois anos e meio, são apenas alguns dos pontos mais visíveis da política do actual Executivo liderado por António Guterres.

Mas os sucessos políticos do actual Governo não se limitam apenas às inúmeras obras públicas ou ao fim do mito sobre quem construiu mais quilómetros de alcatrão (apenas 830 em 12 anos de cavaquismo). A realização política passa, hoje em dia, por um maior empenho dos portugueses na construção do seu País, por uma maior solidariedade geracional e pela realização de reformas em áreas como a Saúde, a Educação, a Administração Pública, a Justiça e a Segurança Social, verificando-se, ainda, profundos avanços em matérias como a Defesa Nacional e o Ambiente.

Há por isso boas razões para ter orgulho em Portugal, nos portugueses e para ter confiança em relação ao futuro.

A REDACÇÃO