PS EM MOVIMENTO




Internacional Socialista

GUTERRES E LAMEGO NA REUNIÃO DE OSLO

O secretário-geral do PS, António Guterres, vai participar no domingo, dia 17, na reunião anual da Internacional Socialista (IS), que decorrerá em Oslo, Noruega.

António Guterres deverá ser acompanhado pelo camarada José Lamego, secretário Internacional do PS, e por José Conde Rodrigues, representante do PS na Associação dos Autarcas Socialistas da IS.

Por outro lado, o camarada José Lamego foi recebido no dia 8, em Londres, pelo secretário-geral da IS, o chileno Luis Ayala, no âmbito dos contactos regulares entre o PS e aquela organização.

Paralelamente, o secretário Internacional do PS proferiu no dia 9, igualmente em território britânico, uma conferência na Universidade de Oxford subordinada ao tema «Portugal e a União Europeia».




Largo do Rato

ENCONTRO PS -PP

O PS considerou no dia 11 «insensata e irrealista» a proposta do PP para a reforma da Segurança Social, sublinhando que se «deve ter os pés bem assentes na terra» de forma a evitar criar «falsas ilusões junto do eleitorado».

No final de uma audiência concedida à nova direcção do PP, liderada por Paulo Portas, o coordenador da Comissão Permanente dos socialistas, António José Seguro, acrescentou que «só se pode prometer aquilo que se pode dar».

«Quando fazemos propostas desse género temos de ter em conta que não se devem criar falsas ilusões junto do eleitorado e, sobretudo, junto do eleitorado que vive com dificuldades», acrescentou.

Nesse sentido, assegurou, a reforma da Segurança Social defendida pelo Governo «será feita à medida das disponibilidades dos portugueses».

A proposta do PP foi lançada sábado pelo líder dos «populares» num comício em Aveiro e tem como um dos objectivos equiparar as remunerações dos pensionistas ao ordenado mínimo nacional. Seguro, contudo, acabou por elogiar a «seriedade e solidez» de «muitos pontos de vista» defendidos pelo PP, aproveitando para criticar o PSD.

«Essa seriedade e solidez levou o PSD a dar um passo largo para a direita e a ser arrastado por aquilo que é hoje a liderança do PP, um partido da direita democrática portuguesa, que tem os seus próprios valores», disse o dirigente socialista.

«Oxalá que todos os partidos fossem tão cordatos e sérios a defender as suas diferenças e divergências como o PS e o PP, que nunca disseram o dito por não dito», concluiu.

Além de Paulo Portas, a delegação dos «populares» que se deslocou à sede nacional do PS, em Lisboa, integrava também João Rebelo, Narana Coissoró e Telmo Correia.




Referendo sobre IVG

PS CRIA COMISSÃO PARA TEMPOS DE ANTENA

O PS criou no dia 6 uma comissão de quatro elementos destinada a organizar os tempos de antena da campanha para o referendo sobre o aborto.

A revelação foi feita pelo coordenador da Comissão Permanente do PS, António José Seguro, no final de uma maratona de encontros da Comissão Permanente, do Secretariado Nacional e da Comissão Política Nacional.

O dirigente do PS sublinhou não ter ficado definida a divisão dos tempos de antena dos socialistas simpatizantes do «sim» e do «não».

António José Seguro adiantou que a comissão integra, além dele próprio, os líderes da bancada parlamentar, Francisco Assis, e da JS, Sérgio Sousa Pinto, e ainda um representante do departamento das mulheres socialistas, por designar.

A proposta de criação da comissão foi apresentada pelo camarada António Guterres e, segundo Seguro, obteve um grande consenso entre os socialistas.

Recorde-se que a campanha eleitoral para o referendo sobre a despenalização da interrupção voluntária da gravidez até às 10 semanas de gestação decorrerá de 16 a 26 de Junho, estando a votação marcada para dia 28.




Congresso da JS

REELEIÇÃO DO LÍDER QUASE ASSEGURADA

Sérgio Sousa Pinto, primeiro subscritor da moção «À esquerda construir o nosso espaço», deverá manter-se na liderança da JS no final do XI Congresso da organização, de 15 a 17 de Maio, em Portimão.

A conclusão retira-se dos resultados alcançados na eleição de delegados ao Congresso da JS.

Rui Costa, único opositor do actual líder da JS na corrida à liderança e subscritor da moção «JS para todos», obteve oito por cento dos votos, contra 75,1 por cento de Sérgio Sousa Pinto.

Distribuídos com base na percentagem da votação, os delegados ao Congresso deverão confirmar Sérgio Sousa Pinto como líder da JS para um terceiro mandato consecutivo.

Eleito pela primeira vez líder da JS a 6 de Março de 1994, Sousa Pinto foi reeleito para um segundo mandato a 19 de Maio de 1996.




Carlos Lage é o novo presidente

PS GANHA ASSEMBLEIA METROPOLITANA DO PORTO

O PS venceu no dia 5 as eleições para a Assembleia Metropolitana do Porto. O novo presidente é o eurodeputado socialista Carlos Lage.

O PS elegeu 13 deputados metropolitanos, o PSD 11, a CDU dois e o PP um.

A vitória socialista deveu-se, em grande parte, ao facto do PSD ter ganho a Câmara de Gaia, mas o PS ter mantido a maioria absoluta na Assembleia Municipal daquele concelho.




Corrente Sindical Socialista da CGTP-IN

ELEITOS OS ÓRGÃOS EXECUTIVOS E APROVADO O PLANO DE ACTIVIDADES

A direcção da Corrente Sindical Socialista da CGTP-IN reuniu no dia 10, na sede nacional, no Largo do Rato, tendo sido eleitos, por unanimidade, os seus órgãos executivos e aprovado o plano de actividades para 1998.

Integram o Secretariado Permanente os camaradas Jerónimo Rodrigues (coordenador), Carlos Trindade, Eduardo Chagas, Diamantino Elias, Clotilde Morais e Filomena Ramos.

Do plano de actividades aprovado constam, a nível interno, as seguintes iniciativas: deslocações a todas as Federações do PS, para contacto com os sindicalistas socialistas de sindicatos da CGTP e independentes; participação nos diversos Congressos das Federações do PS; participação no Congresso do PS; e reuniões mensais com o camarada Fausto Correia, responsável da área do Trabalho.

Quanto às actividades externas, são as seguintes: debate alargado a sindicalistas independentes sobre Segurança Social, legislação de trabalho e redução do horário de trabalho; debate alargado a sindicalistas independentes sobre questões comunitárias; debate alargado a sindicalistas independentes sobre política fiscal, com a presença de responsáveis do PS e do Governo sobre esta temática; e debate alargado a sindicalistas independentes e personalidades sobre o tema «Sindicalismo no século XXI».

A Corrente Sindical Socialista da CGTP-IN vai ainda organizar o lançamento público do Instituto Ruben Rolo, com a presença de um vasto leque de personalidades da vida política e social.



SOCIALISTA LIDERA ANAFRE

É presidente da Junta de Freguesia de Santa Maria dos Olivais, em Lisboa, é socialista, chama-se José Rosa do Egipto, e desde o passado fim-de-semana lidera a Associação Nacional de Freguesias (Anafre), que congrega cerca de metade das mais de quatro mil freguesias existentes em Portugal.

O socialista Rosa do Egipto foi eleito durante o Congresso da Anafre, que decorreu sob o lema «Um novo milénio com uma plena autonomia».

Falando no VI Congresso da Anafre, o secretário de Estado da Administração Local e Ordenamento do Território, José Augusto Carvalho, anunciou que o Governo vai investir mais de 1,5 milhões de contos em computadores para as juntas de freguesia, que assim serão informatizadas.




BRAGANÇA
MOÇÃO DE ARMANDO VARA

A moção «Devolver o Partido às Bases», candidata ao congresso distrital do PS de Bragança, foi retirada no dia 8, depois dos respectivos subscritores tomarem conhecimento de que Armando Vara é o primeiro subscritor da moção adversária.

A moção foi apresentada por um grupo de militantes que se dizem descontentes com a forma como tem sido conduzida a Federação Distrital do Partido, liderada nos dois últimos anos por Mota Andrade, que se recandidata ao lugar com a moção «Com o PS para o Desenvolvimento da Região», subscrita por Armando Vara, secretário de Estado adjunto do ministro da Administração Interna.

Alegando que o partido tem vivido «anoréxico» em relação àquilo que são as expectativas dos seus militantes, o grupo de militantes críticos avançou com uma moção para ser discutida no congresso distrital, a 7 de Junho, mas não apresentou uma candidatura alternativa.

Num comunicado dirigido a organização do congresso, a que a Agência Lusa teve acesso, os subscritores referem «ter decidido retirar a moção quando tomaram conhecimento de que o camarada e membro do Governo Armando Vara era o primeiro subscritor da moção adversária», que identificam como sendo a «oficial».

Os subscritores alegam pretender «privilegiar, como primeira prioridade, o apoio ao Governo e a unidade do partido», frisando a discordância em relação «aos caminhos trilhados pelo partido no distrito».

No texto são ainda tecidas críticas ao novo modelo interno do partido para a eleição de dirigentes e definição de estratégias.

«O facto de as moções e as listas de candidatos a delegados serem apresentados em simultâneo anula a possibilidade de haver um debate prévio, com todos os militantes e em todas as secções concelhias», lê-se no documento.

Os militantes socialistas do distrito de Bragança elegeram no dia 8 o presidente da federação distrital e os delegados ao congresso, que se realiza a 7 de Junho.




VILA REAL
ANTÓNIO MARTINHO RECANDIDATA-SE

O deputado António Martinho vai recandidatar-se a um novo mandato como presidente da Federação de Vila Real do PS.

Revelador do consenso em torno do excelente trabalho desenvolvido por António Martinho, a sua candidatura foi a única apresentada.

Na moção «Continuar, Renovar, Inovar... Com e pela Região», de que é primeiro subscritor, e que será debatida durante este mês em todas as estruturas locais do PS, António Martinho define os objectivos prioritários para os próximos dois anos.

São eles: aprofundar o trabalho autárquico, dando resposta adequada às expectativas que os bons resultados eleitorais de Dezembro passado; vencer o referendo da regionalização e as eleições regionais que se lhe seguirão; e ainda contribuir empenhada e decisivamente para a vitória do PS nas eleições europeias e legislativas.

António Martinho defende que se aprofunde ainda mais o trabalho desenvolvido pelos autarcas socialistas e um PS com sustentação ideológica e com valores de oposição à tecnocracia e empenhado em regionalizar o País.